Em tempos de redes sociais e facilidade de comunicação, liberdade de expressão, excesso de informações, pouco entendimento etc o que mais vemos na nossa área são infindáveis discussões sobre a real utilidade das provas de trabalho e se os atletas caninos são cães de verdade ou apenas fantoches dentro de quatro linhas.
O que eu acredito é que as opiniões tem sido fundamentadas em um mal entendimento do que são as referidas provas e suas reais finalidades. Creio que sanadas essas incompreensões muitas das improdutivas e exaltadas discussões com trocas de acusações podem ser arrefecidas. Alguns defendem veementemente as diversas provas, cada um normalmente a de sua preferência, outros as acusam de irreais, e por aí vai.
Mas, para início de conversa, para que servem as provas de trabalho? (Schutzhund, IPO, KNPV, Belgium Ring, French Ring, Mondio Ring, WPO, AD, PSP, HGH etc) Ao contrário do que muitos pensam, elas não foram criadas e nem existem para simular realidades, elas tem desde a origem três finalidades:

1a – Servirem como ferramentas AUXILIARES para a seleção de cães para a reprodução (e aí coloquei o “auxiliares” em caixa alta porque só fazem bom uso de suas vantagens os treinadores e criadores que realmente entendem do assunto, caso contrário (a maioria) as referidas provas podem não ser tão eficientes para essa finalidade); As provas são testes objetivos e padronizados, oficiais, desenvolvidos por pessoas com conhecimento científico e prático no treinamento de cães, e, em contínuo desenvolvimento e aprimoramento das regras, que acompanham os tempos. Dessa forma conseguimos estabelecer padrões de corte e avaliação para indivíduos e populações, de maneira racional, descritiva e controlada. Nesse item, o termo esporte, muitas vezes utilizado em sobreposição a “prova de trabalho”, é apenas uma vertente, pois, as provas são muito mais que eventos meramente esportivos; as competições esportivas são apenas uma faceta das provas de trabalho, que explano nos dois itens adiante. As provas, muito além do esporte, e muito antes disso, ajudam a avaliar sistematicamente indivíduos, populações e raças quanto aos seus instintos, seu equilíbrio nervoso, sua treinabilidade, sua elasticidade e aptidões físicas/atléticas, sua saúde física/ortopédica e mental etc;

2a – Servirem como meio de desenvolvimento técnico, ou seja, como laboratório de testes e de melhoramento das técnicas de ensino/aprendizado e treinamento. Como em qualquer área da vida e da tecnologia, os esportes desenvolvem espetacularmente esse papel, vide a Fórmula 1 influenciando a melhoria de nossos carros e componentes. A cada corrida, um vence, devido a alguma técnica nova ou a alguma tecnologia aplicada ao veículo, e, os demais têm que correr atrás do prejuízo, tentando descobrir o segredo do desempenho do adversário e, superando-o através de alguma forma de compensação, seja imitando-o, seja inventando algo melhor. E assim as coisas evoluem dentro dessa pressão competitiva. A competição é uma insuperável forma de estímulo ao desenvolvimento; sem competição tendemos a nos manter na zona de conforto;
3a- Servirem como meio de desenvolvimento antropo-social, afinal, somos seres humanos, seres sociais, e, o ambiente esportivo é sabidamente importante no desenvolvimento de diversos atributos em nossa espécie, sejam físicos, neuromotores, psicológicos e sociais. Quem não se recorda da infância colegial e do prazer vivenciado durante jogos ou olimpíadas estudantis?

Com base nesse raciocínio, creio que fica mais fácil entendermos a importância das provas de trabalho. Sem essas provas, aqueles que as acusam de inúteis hoje, sem nenhuma dúvida não conheceriam as raças que porventura utilizam em suas funções, pois elas foram desenvolvidas utilizando as referidas provas como parâmetros, e só existem como raças de trabalho graças a tais provas.
Não digo com isso que uma raça ou população em que se tem como propósito a guarda territorial por exemplo, tenha que fazer uma prova de Schutzhund ou KNPV; de forma nenhuma, mas, seguindo essa linha de raciocínio, devem existir provas específicas direcionadas a cada função, seja policial, seja pastoreio, seja resgate, seja detecção, seja cão guia etc, desenvolvidas por elementos realmente competentes e experimentados em cada atividade.
Finalizando, creio que a melhor pergunta não é a que intitula esse texto, mas sim: as provas de trabalho, quem tem medo?

Comentário fechado.

Cães